5 PASSOS PARA TER UMA INFRAESTRUTURA DE ALTA PERFORMANCE
LB2
23/07/2021 | por LB2#infarestrutura #tecnologiadainformação #ti #perfomance

5 PASSOS PARA TER UMA INFRAESTRUTURA DE ALTA PERFORMANCE

                                            

 

INTRODUÇÃO

Se você chegou até aqui, é possível que a sua empresa ainda esteja brigando com equipamentos antigos. Não é mais novidade que investir em uma infraestrutura de tecnologia deixou de ser uma alternativa para ter um negócio competitivo.

Para te ajudar a saber como escolher um parceiro que seja capaz de suportar a necessidade do seu negócio, montamos um passo a passo para que, definitivamente, sua empresa não esteja entre aquelas que estão deixando de crescer por não ter as ferramentas certas. 

Leia o texto completo e descubra como ter uma infraestrutura de alta performance. 

 

PASSO 1 – ESCOLHA UM PARCEIRO ESTRATÉGICO

Uma infraestrutura de alta performance precisa, em primeiro lugar, de um parceiro que entenda a relação entre a infraestrutura e o negócio. Por que isso é tão importante?

Ao entender qual estrutura a empresa possui e a área em que ela atua, é possível desenhar uma arquitetura que atenda perfeitamente suas necessidades. Qual o impacto disso?

Essa aderência assegura a continuidade da operação e é determinante para o nível de segurança da sua empresa. Se uma empresa opera, por exemplo, 24 horas por dia, 7 dias por semana, a sua infraestrutura precisa ser resiliente. Uma infraestrutura resiliente é capaz de resistir, absorver, acomodar ou se recuperar rapidamente de desastres naturais, preservando e restaurando estruturas e suas funções elementares.

É importante destacar que é sempre o negócio e as suas demandas que vão responder qual é a sua real necessidade. O consultor, munido dessas informações, oferecerá a arquitetura que atenda às necessidades da operação. Ninguém pode saber melhor do que o próprio gestor qual é a realidade do dia a dia.

O parceiro estratégico também é capaz de estipular o tempo de recuperação e o ponto de recuperação das suas informações. Imagine que sua empresa tenha uma parada no sistema: em primeiro lugar, quanto tempo demorará para a operação voltar ao funcionamento normal? Em segundo lugar, quanto de dados você perderia nesse período?

Estamos prontos para oferecer essa resposta.            

 

         

 

PASSO 2 – CONHEÇA OS FABRICANTES

Ao entender a realidade do negócio e prever o quanto a infraestrutura dela coloca em risco a continuidade da operação, é hora de investir em uma infraestrutura capaz de suportá-la.

Para isso, é preciso trabalhar com os melhores players do mercado. Como a LB2 define os parceiros com os quais trabalha?

Para saber essa resposta, levamos em conta as pequisas e indíces desenvolvidos pelo Gartner Group, a principal referência quando o assunto é soluções em tecnologia da informação. 

Trabalhamos com os principais players do mercado: Lenovo, Dell, IBM, HP e Cisco.

 

                                                      

 

Por que eles são os melhores players?

A tecnologia de processamento utilizada por esses fabricantes é a Intel, a principal fabricante de processadores do mundo.

Além disso, o serviço prestado por esses fabricantes é abrangente, isto é, está presente no Brasil inteiro. Isso significa que não existe o risco de a empresa adquirir um produto desses fabricantes e não ser suportada em caso de algum problema na infraestrutura.

Quanto ao tempo de atendimento, a abrangência evita que o suporte demore um tempo tão grande que coloque em risco a continuidade do negócio. Isso cria uma pulverização da camada de garantia e suporte, aumentando a extensão do atendimento.

 

 

PASSO 3 – CALCULE O ROI DO PROJETO

Cremos que até aqui ficou claro a importância de um parceiro estratégico e o porquê trabalhar com fabricantes de alto nível.

Agora, uma das principais perguntas que qualquer gestor fará: qual o valor que eu preciso investir para ter essa infraestrutura de alta performance?

O cálculo de ROI, o retorno sobre o investimento, é responsável por fazer o link entre a realidade do negócio e a infraestrutura que ele precisa. Em outras palavras, o cálculo de ROI é a comprovação financeira da ligação entre a necessidade da sua empresa e o que, de fato, ela é capaz de investir.

Imagine o seguinte exemplo:

Minha operação custa, por hora que ele fica parada, 1 milhão de reais.

Se o investimento em uma infraestrutura garante menos de uma hora do meu sistema parado, e custa menos de 1 milhão de reais, ela se paga na primeira falha, pois ela sempre ficará menos tempo parada do que o valor final do investimento na infraestrutura.

A realização de um cálculo de ROI pode ser o critério determinante para a decisão sobre realizar o investimento. Por isso, é fundamental ser suportado por um consultor que faça esse cálculo e entregue o panorama geral do investimento.

O cálculo de ROI é a comprovação da relação entre planejar e executar.

 

 

PASSO 4 – CONHEÇA AS FORMAS DE INVESTIMENTO

Quais alternativas financeiras eu tenho para colocar em prática a implantação da infraestrutura? Utilizar o capital da empresa é a única possibilidade ou há uma saída para as empresas que não sejam capazes de suportar o investimento?

O CAPEX e o OPEX podem ser utilizados para a aquisição da infraestrutura.

O CAPEX (Capital Expenditure) permite a utilização do capital da própria empresa para fazer o investimento. A principal vantagem dessa forma de investimento é não pagar os juros que são comuns, por exemplo, em um processo de financiamento, que envolve uma operação financeira com uma instituição bancária.

Por outro lado, não ter o capital em mãos pode ser um impeditivo para realizar o investimento em uma infraestrutura de alta performance. Para tanto, há a segunda modalidade de investimento: o OPEX.

O OPEX (Operational Expenditure) permite que a empresa faça, por exemplo, um leasing e adquira o bem mediante o pagamento de um valor mensal. A contrapartida dessa modalidade é que, como em qualquer forma de investimento realizado com uma operadora financeira, há a cobrança de juros sobre o valor do investimento.

No entanto, a depender do enquadramento da empresa, isto é, se ela se enquadra na modalidade “lucro presumido” ou “lucro real”, é possível auferir um benefício fiscal sobre o leasing. Por isso a importância dessa análise ser feita em parceria com um consultor que, entendendo a realidade do negócio, ajudará a construir a melhor alternativa.

Ao optar pelo leasing, ainda há duas formas de realizar essa operação:  FMVFPO.

FMV (Fair Market Value): nessa modalidade, a empresa obtém os produtos por um período determinado, por exemplo, 36 meses. Ao final do período, a empresa tem o direito de adquirir o bem pelo valor de mercado que ele tem naquele momento. Outra alternativa é devolver o produto para os bancos e obter uma renovação das máquinas, mantendo o pagamento mensal do valor investido.

FPO (Full Pay Out): nessa modalidade, o valor total é diluído ao longo do período. Se, como no exemplo anterior, há um contrato de 36 meses, ao final do contrato, a empresa conclui o pagamento do valor mensal e adquire os produtos definitivamente.

 

PASSO 5 – CONHEÇA AS GARANTIAS

Por fim, é importante saber quais são as formas de garantia para esse investimento. A LB2, ao atuar com os principais players do mercado quando o assunto é hardware, garante a qualidade das ferramentas utilizadas na implantação da infraestrutura. Ainda, garante uma gestão do ambiente dentro da modalidade contratada.

A garantia do hardware e do serviço de gestão da infraestrutura estão pautados no SLA (Service Level Agreement), isto é, o acordo do nível de serviço.

O objetivo desse acordo é assegurar que, após a aquisição da infraestrutura, qualquer eventual obstáculo para a continuidade do negócio seja suportado pelo fabricante, em caso de inoperância do hardware, e pelo parceiro estratégico, quando a necessidade for na gestão do ambiente.

Antes de definir o SLA, é preciso entender o nível de criticidade da operação, o que determinará qual dos tipos de parceria deve ser contratado. 

O SLA é sempre dividido em dois parâmetros: cobertura e tempo de resposta e solução.

A LB2 possui três modalidades de contrato para suportar a gestão do ambiente: YELLOW, GREY e BLACK.

 

 

YELLOW

A parceria YELLOW foi desenhada para empresas que tem baixa demanda por serviços de TI, onde paradas não impactem diretamente em perdas para os negócios. O modelo conta com suporte apenas em horário comercial, com franquia mensal de horas reduzidas, entregando um serviço de alta qualidade aliada a um baixo custo.

9x5 NBD (Next Business Day): cobertura de 9 horas por dia, 5 dias na semana, com resposta no próximo dia útil.

Franquia: 2 horas

GREY

A parceria GREY foi pensada para negócios que necessitem de um atendimento profissional para área de TI, mas que, aos mesmo tempo, não contemple uma operação 24x7. Ideal para empresas com uma infraestrutura de tecnologia mais madura, consumindo atenção de profissionais qualificados, a parceria GREY entrega atendimento em horário comercial, com possibilidade de contratação de horas adicionais para atendimentos em horários alternativos. Essa modelaidade permite uma maior flexibilidade para clientes que sazonalmente tenham demandas de missão crítica fora de horários comerciais.

24x7|24h: cobertura de 24 horas, por 7 dias na semana, com resposta em até 24 horas

Franquia: 4 horas

BLACK

A parceria BLACK entrega aos clientes um modelo de atendimento com alta disponibilidade, focado em negócios que precisam de ambientes estáveis e onde as paradas impliquem em perdas impactantes para sua organização. A parceria conta com atendimento 24x7, monitoramento proativo e plantão a distância. Independetemente do tamanho da sua empresa, essa é a parceria ideal para minimizar perdas financeiras e baixa produtividade.  

24x7|24h: cobertura de 24 horas, por 7 dias na semana, com resposta em até 24 horas

Franquia: 10 hor

 

Notícias relacionadas

Estamos prontos para te atender

Nossa equipe está pronta para analisar e desenhar soluções junto com seu time de T.I.